Pular para o conteúdo principal

Marketing tradicional x Marketing digital


            Em um cenário onde 80% dos produtos lançados mundialmente fracassam, o lógico é esperar por mudanças na área de marketing. Porém, o que vemos é uma mudança de linguagem e termos, evocando a falência do marketing tradicional em favor do marketing digital.
          
         Mas qual a grande mudança que o marketing digital trouxe ao mundo dos negócios? Houve uma mudança no quadro de fracassos de lançamentos? As empresas estão se tornando menos suscetíveis aos avanços da concorrência? O marketing digital traz em si a fórmula da lealdade do consumidor?
           
             Antes de responder essas questões, vamos analisar o que é marketing digital:

“Com a evolução da tecnologia da informação e da comunicação, especialmente a internet, o marketing evoluiu para o chamado marketing eletrônico, e-marketing ou marketing digital, conceito que expressa o conjunto de ações de marketing intermediadas por canais eletrônicos, como a internet, em que o cliente controla a quantidade e o tipo da informação recebida”. FONTE: LIMEIRA, Tania Maria Vidigal.E-Marketing: O marketing na internet com casos brasileiros. São Paulo: Saraiva, 2003.

Você até pode se perguntar: “ok, mas e a definição da AMA (American Marketing Association), instituição que define o marketing no mundo?” caro leitor, a AMA não diferencia Marketing entre “tradicional” e “digital”.

Portanto, agora podemos responder as questões acima: O marketing digital não soluciona as “lacunas” do marketing tradicional.

Mas afinal, o que isso quer dizer?

Isso quer dizer que a lacuna não está na teoria, está na aplicação das ferramentas de marketing. Simplesmente não existe solução mágica. O marketing digital não é o El Dorado da gestão de marketing, é o marketing instrumentalizado por ferramental tecnológico virtual.

E por que 80% dos produtos lançados fracassam?

O que nós podemos dizer com certeza é que o comportamento dos consumidores mudou muito nas últimas duas décadas. O marketing de massa não é mais efetivo para a busca de novos clientes, muito menos para fidelização dos atuais. Os clientes estão mais exigentes, possuem mais informações e estão prontos para decidir o que consideram justo em uma relação com uma empresa. O que leva a uma conclusão óbvia: são as organizações que não estão se adaptando aos novos perfis dos clientes.

Perceba: não são as ferramentas tecnológicas que irão alicerçar o sucesso no lançamento de produtos. A chave está na inteligência e na capacidade de elaborar estratégias de sucesso por parte dos gestores.

A tecnologia traz ganhos de velocidade, de acesso a informações e na interação com clientes e colaboradores para as organizações, mas informação não é igual a conhecimento. O que muitos gestores fazem erroneamente é validarem informações colhidas no mercado, sem efetuar a devida análise, e partirem para a utilização de ferramentas de marketing, baseando-se no que “o mercado está fazendo”.

Essa maneira atabalhoada de fazer gestão está se impregnando nas organizações. Diversos “gurus” do marketing digital estão trazendo receitas pré-prontas para as organizações e incrivelmente estas estão comprando a ideia de customizar suas relações com seus clientes.

A poucos parágrafos eu afirmei que o marketing de massa não funciona mais. E isso parece estar claro para os empresários. O que perceptivelmente não estar claro é que esses mesmos empresários estão adquirindo ferramentas virtuais de customização de relacionamento com clientes, ou seja, estão repetindo o marketing de massa agora com uma roupagem “digital”.

Caro leitor, eu não quero que você encare a posição por mim defendida aqui como um “manifesto contra a utilização da tecnologia”, pois eu mesmo sou um utilizador assíduo de ferramentas tecnológicas em meus projetos. O que quero que fique claro para você é que a tecnologia não irá solucionar os seus anseios e nem sanar isoladamente as dificuldades da sua organização. Não existe mágica em marketing e vendas. É a inteligência dos criadores e as muitas horas de planejamento envolvidas que justificam as estratégias de sucesso no marketing contemporâneo.

Alex Kunrath
Consultor Sênior IDAti
alex@idati.com.br
www.idati.com.br

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Manual de Vendas Externas

Um cliente me solicitou um modelo de manual de vendas externas, focadas em vendas de cursos, desde técnicos até mestrados. Abaixo segue uma linha básica deste manual, sendo focado em vendedores de pouca experiência e de segundo grau. Uma boa revisão de diversos pontos sobre a arte das vendas. Aproveite.
____________________________________; MANUAL DE VENDAS - GERAL
                                               Introdução:
    Existe alguma fórmula secreta que transforme atendentes em vendedores? Será que existe o dom em certas pessoas que receberam a dádiva da venda? A resposta é não.     Então, o que torna uma pessoa interessada em negociações em um vendedor? Carisma, persistência, força de vontade ... são excelentes características para um vendedor, mas não são o que o torna um profissional de sucesso. Pense em um esportista: é uma pessoa com um dom, mas sem muito treino e prática nunca será um profissional, quanto mais um destaque em sua área.     É por isso que elaboramos este M…

Tartarugas sobre Postes

Muitas vezes cedemos ao impulso de sobrevalorizar pessoas nas quais confiamos. Escolhemos pessoas que nos são caras, que criaram um vínculo emocional conosco. E que se tornam leais com o passar do tempo, parceiras em momentos de necessidade. Pessoas que devem sim ser valorizadas. Mas quando você valoriza essa pessoa, está pensando na organização ou nos seus valores pessoais? Perceba, pessoas possuem perfis ou afins ou díspares. E não é porque não temos uma boa comunicação com uma pessoa de um perfil antagônico ao nosso que ela se torna menos competente. Assim como pessoas que criam afinidade, elos emocionais conosco, não necessariamente são mais competentes. Gestão envolve decidir. E nem sempre estamos preparados para decidir corretamente. Humanos são seres extremamente sociais. E afinidades são caras para nós. Então quando surge uma boa oportunidade de promover alguém da sua equipe você simplesmente pesa mais afinidades que competências. Afinal, por que premiaria aquela pessoa insuportáve…

Trabalho Prisional: Responsabilidade Social e Vantagem Competitiva

Como utilizar a mão-de-obra prisional? quais as vantagens para os presos e para a empresa? sua empresa será Responsável Social se incluir o trabalho prisional em sua sistemática produtiva? o que você lucra com isso? Esse é um guia sobre o trabalho prisional e sobre sua utilização por parte de uma empresa.


A alta tributação imposta pelo Estado brasileiro exige das empresas a busca pela eficiência, com custos cada vez mais reduzidos e preços cada vez mais competitivos. Países em desenvolvimento tornaram-se concorrentes na busca por espaços no mercado mundial, principalmente porque muitos destes são regidos por legislações mais flexíveis, favoráveis às empresas locais, as quais obtêm vantagens tributárias e trabalhistas que se refletem em produtos de baixo custo e alta competitividade.
Concomitantemente, cresce no Brasil o movimento da Responsabilidade Social. A população brasileira está cada vez mais atenta à participação das empresas em atividades dessa natureza. O desenvolvimento socia…