Pular para o conteúdo principal

O suco da laranja

Já ouvi muitos gestores se gabando de exigir de suas equipes o máximo de desempenho, extraindo o “suco da laranja” de seus colaboradores ... e deixando só o bagaço no final do período.

Obviamente todos os gestores querem o máximo de desempenho de suas equipes. Em projetos queremos a entrega do combinado dentro do prazo e do custo estipulados, assim como em vendas buscamos o atingimento dos objetivos comerciais definidos.

Mas e quando a equipe não está preparada para alcançar os objetivos, como ela consegue conquista-los? É a magia do “líder espremedor de suco”? E ainda cabe perguntar: por que sobra apenas o bagaço da equipe depois desse resultado?

Simples: a equipe trabalhou muito mais do que deveria ter trabalhado. Troca-se a qualidade do trabalho pelo esforço para o atingimento de resultados. Extrai-se todo o suco, o sangue, a vontade e a dedicação de uma equipe despreparada em troca de um resultado de curto prazo.

Sim, curto prazo amigo leitor.

Pessoas comuns não aguentam pressão por longos períodos. Mesmo os incomuns, mais fortes, tendem a esmorecer com o tempo, ficando doentes física e psicologicamente.

O alto turnover em equipes de alto desempenho se justifica em boa parte nestes termos. Gestores incompetentes não preparam seus colaboradores para a conquista de resultados via qualidade e sim via pressão psicológica.

E depois ainda se orgulham de ter tirado o “suco da laranja” de seus colaboradores.

Sempre tive a visão de que uma equipe de excelência deve ter duas características básicas:
     
     1)      Capacidade individual de autogerenciamento, onde cada um dos membros da equipe é capaz de realizar o planejamento e a execução de suas tarefas independentemente do acompanhamento do gestor
      
      2)      Um gestor estrategista, que busca informações e analisa cenários de maneira a guiar as mudanças necessárias em macroprocessos

Nesse tipo de equipe não existe espaço para “sucos” e “bagaços”. Existe planejamento, desenvolvimento e constante troca de informações. O planejamento é feito por toda a equipe, não imposto pelo gestor.

Infelizmente no Brasil nós ainda vivemos em um ecossistema empresarial que mais parece um pomar cheio de frutas a espremer do que conjuntos de pessoas intelectualmente preparadas para enfrentar os desafios organizacionais modernos.

Alex Kunrath
Consultor Sênior IDAti
alex@idati.com.br


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Manual de Vendas Externas

Um cliente me solicitou um modelo de manual de vendas externas, focadas em vendas de cursos, desde técnicos até mestrados. Abaixo segue uma linha básica deste manual, sendo focado em vendedores de pouca experiência e de segundo grau. Uma boa revisão de diversos pontos sobre a arte das vendas. Aproveite.
____________________________________; MANUAL DE VENDAS - GERAL
                                               Introdução:
    Existe alguma fórmula secreta que transforme atendentes em vendedores? Será que existe o dom em certas pessoas que receberam a dádiva da venda? A resposta é não.     Então, o que torna uma pessoa interessada em negociações em um vendedor? Carisma, persistência, força de vontade ... são excelentes características para um vendedor, mas não são o que o torna um profissional de sucesso. Pense em um esportista: é uma pessoa com um dom, mas sem muito treino e prática nunca será um profissional, quanto mais um destaque em sua área.     É por isso que elaboramos este M…

Tartarugas sobre Postes

Muitas vezes cedemos ao impulso de sobrevalorizar pessoas nas quais confiamos. Escolhemos pessoas que nos são caras, que criaram um vínculo emocional conosco. E que se tornam leais com o passar do tempo, parceiras em momentos de necessidade. Pessoas que devem sim ser valorizadas. Mas quando você valoriza essa pessoa, está pensando na organização ou nos seus valores pessoais? Perceba, pessoas possuem perfis ou afins ou díspares. E não é porque não temos uma boa comunicação com uma pessoa de um perfil antagônico ao nosso que ela se torna menos competente. Assim como pessoas que criam afinidade, elos emocionais conosco, não necessariamente são mais competentes. Gestão envolve decidir. E nem sempre estamos preparados para decidir corretamente. Humanos são seres extremamente sociais. E afinidades são caras para nós. Então quando surge uma boa oportunidade de promover alguém da sua equipe você simplesmente pesa mais afinidades que competências. Afinal, por que premiaria aquela pessoa insuportáve…

Trabalho Prisional: Responsabilidade Social e Vantagem Competitiva

Como utilizar a mão-de-obra prisional? quais as vantagens para os presos e para a empresa? sua empresa será Responsável Social se incluir o trabalho prisional em sua sistemática produtiva? o que você lucra com isso? Esse é um guia sobre o trabalho prisional e sobre sua utilização por parte de uma empresa.


A alta tributação imposta pelo Estado brasileiro exige das empresas a busca pela eficiência, com custos cada vez mais reduzidos e preços cada vez mais competitivos. Países em desenvolvimento tornaram-se concorrentes na busca por espaços no mercado mundial, principalmente porque muitos destes são regidos por legislações mais flexíveis, favoráveis às empresas locais, as quais obtêm vantagens tributárias e trabalhistas que se refletem em produtos de baixo custo e alta competitividade.
Concomitantemente, cresce no Brasil o movimento da Responsabilidade Social. A população brasileira está cada vez mais atenta à participação das empresas em atividades dessa natureza. O desenvolvimento socia…